POLICIAL MORTO APÓS CONFRONTO COM BANDIDO É ENTERRADO COM HONRAS MILITARES

26/09/2019

Foi enterrado em Bauru, na quinta-feira, dia 26, sob forte emoção e com honras militares, o corpo do tenente da PM Felipe Atanázio, 24 anos, que morreu na terça-feira, dia 25, após ter sido baleado quando prestava atendimento a um acidente em Aparecidinha, distrito de São Manuel.

O féretro foi conduzido por um caminhão do Corpo de Bombeiros do local do velório, a Igreja Rasgando os Céus, frequentado por ele e pela família, até o cemitério do Jardim Redentor, onde foi sepultado.

Bauruense e filho do capitão reformado Vander de Oliveira Pires, Felipe Atanázio era solteiro, não tinha filhos e ocupava o posto de primeiro-tenente do 4.º Batalhão de Policiamento Militar do Interior (4.º BPM-I) de Bauru.

Além dele, outros dois oficiais foram baleados, em suas pernas. O capitão Marcelo Cordeiro Paes já teve alta e o tenente Rodrigo José Franco passou por cirurgia hoje pela manhã, para retirada do projétil que estava alojado na sua coxa, e continua internado em recuperação no Hospital da Unesp em Botucatu.

A despedida de Felipe reuniu centenas de pessoas, entre familiares, amigos, companheiros da Polícia Militar, além de representantes da Polícia Militar Rodoviária, Polícia Civil, Corpo de Bombeiros, Tiro de Guerra e representantes públicos da prefeitura e Câmara.

ADEUS – O velório de Felipe Atanázio foi realizado na Igreja Rasgando os Céus (av. Rodrigues Alves, 23- 50, Centro), onde os pais dele são pastores.

A missão de “Servir e Proteger” corria no sangue do jovem bauruense Felipe Atanázio Pires. Inclusive, a inspiração para seguir a carreira militar teve origem com o seu avô, Thomáz Atanázio, oficial do Exército e da Polícia Militar, que lutou durante a 2.ª Guerra Mundial. Além do progenitor (que morreu em setembro de 2013), o pai de Felipe também era oficial da PM.

O jovem era solteiro e completaria cinco anos de serviço em novembro. Em 2015, partiu para a Academia Militar do Barro Branco, onde fora aprovado em 99.º lugar e conquistou uma das 220 vagas para a sonhada carreira militar de oficial.

Antes, participava do Projeto Guri, no qual ingressou em 2006, na turma do saxofone. Por meio da banda, segundo informações do site oficial do projeto, viajou para outros países, como Argentina e Noruega.

Ainda em entrevista no site, logo que entrou para o Barro Branco, Felipe Atanázio disse: “Não posso deixar de falar dos excelentes professores e maravilhosas pessoas que encontrei no projeto, que vou levar como exemplo a minha vida inteira”. Infelizmente, a “vida inteira” do jovem foi encurtada pelos disparos na tarde desta quarta-feira.

Fonte: Jcnet
Fotos: Samantha Ciuffa

Deixe seu comentário



Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Avaré Urgente. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Avaré Urgente poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *