01/07/2015

Notícias Avaré urgente: Imagem principal

CAMPANHA OUVIDORIA PREFEITURA DE AVARÉ

01/07/2015

Notícias Avaré urgente: Imagem principal

CASO SEMELHANTE À RÍPOLI TERIA OCORRIDO EM SOROCABA E VEREADOR NÃO PERDEU O CARGO

A Secretaria Jurídica da Câmara de Vereadores de Sorocaba emitiu um parecer sobre a repercussão do debate sobre LGBTs entre o vereador José Crespo (DEM) e internautas em uma rede social.

 

Na última quinta-feira, dia 25, um comentário de Crespo a uma internauta, se referindo à classe LGBT como "anormais", repercutiu nas redes sociais. O tema surgiu após a votação do Plano Municipal de Educação (PME), que estabelece metas e estratégias para os próximos dez anos. Na ocasião, Crespo afirmou: “os GLBTTTT, como se autodenominam, merecem ser respeitados e gozar de todos os direitos civis, mas são pessoas anormais”.

 

Segundo a Secretaria Jurídica, compete à Comissão de Ética apurar se houve quebra de decoro. Além disso, o Jurídico afirma que a ofensa não foi praticada na sede do Legislativo e que não há hierarquia entre a presidência da casa e suas Comissões Permanentes, que, desta forma, são independentes para a realização de suas atribuições.

 

Em entrevista ao G1, Crespo confirmou suas declarações e se defendeu: "Anormal é simplesmente aquilo que destoa do "normal". Muitos me apoiaram nas redes sociais e, como cristão, devo defender os meus valores. Antes de ser político, sou cristão e não abro mão disso".

 

O relatório da Secretaria Jurídica com o parecer sobre o caso foi entregue ao presidente da casa, Gervino Cláudio Gonçalves, o Cláudio do Sorocaba I (PR), na segunda-feira, dia 29, destaca que: "o Presidente é o representante da Câmara quando ela se pronuncia coletivamente, o que o obriga a tomar todas as providências e medidas necessárias ao respeito e valorização da instituição. É o supervisor dos seus trabalhos e da sua ordem e tem sua competência específica definida no Regimento Interno, mas não pode invadir a esfera pessoal dos membros do Poder Legislativo.”.

 

RIPOLI - O caso do vereador de Sorocaba é parecido com o caso do ex-vereador Rodivaldo Rípoli, em Avaré. Rípoli ter dito em um programa de rádio que comandava palavras consideradas preconceituosas.

 

A Comissão Processante foi instaurada depois de uma denúncia protocolada na Câmara em abril de 2013, que acusada o então vereador de ter falado palavras consideradas preconceituosas em seu programa de rádio.

 

Danilo Burini, presidente do Amigos em Defesa do Cidadão e da Criança (Adeca), foi o responsável por protocolar o pedido da comissão. Ele se diz satisfeito com o resultado da votação.

 

A sessão que decidiria o futuro de Rípoli foi adiada por duas vezes.  Em uma delas, o até então advogado do investigado pediu o adiamento da votação alegando que o vereador apresentava problemas odontológicos.

 

O atestado apresentado pelo advogado foi anexado ao requerimento. Logo depois, Rípoli nomeou outra advogada, uma profissional do município de São Paulo que até 4 de julho de 2013 não havia sido encontrada para ser notificada sobre a sessão extraordinária.

 

A sessão que decidiu pela cassação durou aproximadamente 11 horas. A votação começou por volta das 21h e teve 11 votos a favor da cassação. O advogado que representava o vereador não compareceu e a defesa foi feita por uma advogada convocada pela Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), Vera Cristina Fernandes.

 

Desde que foi cassado, Rípoli tenta reaver seus direitos políticos na Justiça, porém, até o momento, sem sucesso. Em contato com o site Avaré Urgente, o ex-vereador citou a decisão do departamento jurídico de Sorocaba o qual estaria "absolvendo" o vereador Crespo, porém o caso ainda não foi julgado pela Comissão de Ética da Câmara de Sorocaba.

 

Rípoli afirmou ao site que foi injustiçado e que brigará até a última instância para tentar se candidatar para as eleições municipais de 2016. 

01/07/2015

Notícias Avaré urgente: Imagem principal

BARRETO MOSTRA IRRITAÇÃO COM SECRETÁRIO JOÃO DALCIM

O vereador Francisco Barreto vem mostrando irritação em relação ao secretário de Planejamento e Sistemas Viários em Avaré, João Dalcim.

 

Durante a sessão da última segunda-feira, dia 29, Barreto revelou que havia procurado o secretario para resolver o problema de motoristas de vários ônibus que vem para Avaré trazendo estudantes da região.

 

Segundo o petista, os motoristas estariam tendo dificuldades em encontrar locais para estacionar os veículos. Na época em que conversou com o secretário, algumas placas de proibido estacionar foram "tapadas" com um saco preso, ou seja, autorizando os veículos a estacionarem nos locais que até então não eram permitidos.

 

A irritação de Barreto ocorreu depois que o secretário João Dalcim, teria determinado a proibição novamente. "Falei com o secretário e ele havia concordado em cobrir as placas e autorizar os ônibus estacionarem nos locais que não eram permitidos. De repente recebo ligações de motoristas informando que os locais foram proibidos novamente. Os motoristas estão sendo desrespeitados. Tem que ter respeito. São cerca de 12 cidades que enviam seus estudantes para Avaré. Punir somente para aparecer não está certo. O secretário sabe do que eu estou falando", desabafou.

 

MAIS RECLAMAÇÕES - Não foi somente Barreto que reclamou da atuação do secretário. O vereador Carlos Estati estranhou o fato de o semáforo da Rua Bahia estar a um mês estragado. Ele pediu agilidade e destacou que faltava "punho" para o secretário.

 

Davi Cortez também cobrou João Dalcim. Para o vereador do PP, em alguns casos, a Prefeitura deveriam pular os trâmites legais e resolver o problema. "O executivo não pode esperar pela legalidade, pois pode haver perda de vidas", ressaltou.

01/07/2015

Notícias Avaré urgente: Imagem principal

GOLPISTAS SE PASSAM POR SERVIDORES PÚBLICOS PARA ROUBAR SENHA E CARTÃO DE BANCO

Estelionatários estão se passando por servidores municipais para aplicar mais um golpe. Como agentes de saúde ou assistentes sociais, os suspeitos oferecem falsos planos de saúde às vítimas, quase sempre idosas, para pegar a senha e os cartões bancários delas. O golpe já foi registrado em pelo menos quatro cidades da região.

 

Uma mulher, de 62 anos, de Botucatu, que prefere não ser identificada e quer esquecer que foi enganada por um golpista, perdeu mais de R$ 16 mil em menos de um mês. O extrato mostra que, em poucos dias, o criminoso retirou mais de R$ 7,8 mil só da conta-poupança. “Ele fez um empréstimo de R$ 3 mil, sacou parece que mais R$2 mil. Sei que no total tudo deu R$ 16 mil. Fez compra na loja no meu cartão.”

 

Neste caso, o golpista cria toda uma história para enganar a vítima. Usando roupas da prefeitura, ele se passa por agente de saúde, e oferece um plano municipal gratuito. Depois de muita conversa, ele diz que precisa preencher um formulário e, além dos documentos, pede o cartão do banco da vítima, segundo o delegado Marcos Mores.

 

“Ele começa a convencer a vítima da necessidade da senha e a dizer que não adianta ele ter a senha, mas na hora que ele devolve o cartão, já trocou por um cartão falso. Sai do local e usa esse cartão no comércio.”

 

A vítima conta que em nenhum momento desconfiou que o homem que roubava o cartão do banco com a senha fosse um golpista. “Um cara que chega com crachá e camisa da prefeitura, não dá nem para desconfiar. Deixei na mãe da Polícia, eu não poda fazer nada. Eu estou esperando para ver o que dá, porque o dinheiro eu acho que não vou ter de volta.”

 

AVARÉ - O delegado diz que a Polícia já tem pistas concretas de quem está aplicando este golpe e que há registros de casos semelhantes em outras cidades da região. “Conseguimos registrar boletim de ocorrência de golpes idênticos em cidades como Pederneiras, Avaré, Ourinhos, Paranapanema, tudo indicando que seja a mesma pessoa ou pode ser um comparsa.” (Fonte G1/Bauru)

01/07/2015

Notícias Avaré urgente: Imagem principal

MÁQUINAS CAÇA-NÍQUEIS SÃO APREENDIDAS EM BAR NO VERA CRUZ

Duas máquinas caça-níqueis foram apreendidas no Bairro Vera Cruz, em Avaré, na noite de segunda-feira, dia 29.

 

Segundo a Polícia Militar, o equipamento foi encontrado no interior de um bar. Uma equipe que passava na frente local estranhou a movimentação no estabelecimento. Em vistoria pelo local, as máquinas azar foram encontradas.

 

O dono do estabelecimento foi ouvido na delegacia e liberado em seguida, informou a Polícia. No entanto, ele responderá em liberdade por prática de jogos de azar. (Com informações do G1)

 Anúncios Avaré urgente: Logomarca

  • Parceiros Avaré urgente: Logomarcas
  • Parceiros Avaré urgente: Logomarcas
  • Parceiros Avaré urgente: Logomarcas
  • Parceiros Avaré urgente: Logomarcas
  • Parceiros Avaré urgente: Logomarcas
  • Parceiros Avaré urgente: Logomarcas
  • Parceiros Avaré urgente: Logomarcas
  • Parceiros Avaré urgente: Logomarcas
  • Parceiros Avaré urgente: Logomarcas
  • Parceiros Avaré urgente: Logomarcas
  • Parceiros Avaré urgente: Logomarcas
  • Parceiros Avaré urgente: Logomarcas
  • Parceiros Avaré urgente: Logomarcas
  • Parceiros Avaré urgente: Logomarcas
  • Parceiros Avaré urgente: Logomarcas
  • Parceiros Avaré urgente: Logomarcas
  • Parceiros Avaré urgente: Logomarcas
  • Parceiros Avaré urgente: Logomarcas
  • Parceiros Avaré urgente: Logomarcas
  • Parceiros Avaré urgente: Logomarcas
  • Parceiros Avaré urgente: Logomarcas
  • Parceiros Avaré urgente: Logomarcas