ZIROLDO CRITICA POSICIONAMENTO DE VEREADORES DO PSDB DE AVARÉ

12/12/2018

O ex-presidente da Câmara de Avaré, Denílson Ziroldo não gostou de ter seu nome citado pela vereadora Marialva Biazon na polêmica envolvendo a aprovação da Resolução 416/2018.

Na sessão ordinária do dia 26 de novembro, a parlamentar defendeu a aprovação da resolução e acabou citando o nome de Ziroldo que, segundo ela, teria criado cargos durante o período de 180 dias para deixar a função de presidente da Câmara, fato que também ocorreu na gestão do atual presidente, vereador Toninho da Lorsa.

“São coisas diferentes. Nós extinguimos todos os cargos de assessores e criamos duas funções. Não houve aumento da despesa de pessoal. Pelo que me recordo, criamos dois cargos de chefe licitação e pessoal, mas em contrapartida extinguimos todos os assessores”, disse.

Ziroldo destacou ainda que durante sua gestão as despesas no legislativo foram reduzidas. “A lei dos 180 dias, fala em aumento de despesa com pessoal, mas com a extinção dos cargos de assessor não houve aumento de despesa de pessoal. Pelo contrário, reduziu a despesa”.

O ex-vereador disse ainda ter atendido todas as recomendações do Tribunal de Contas do Estado de São Paulo (TCE/SP). “Sempre atendemos recomendações do TCE e a extinção dos assessores foi uma delas. Os cargos que foram criados são obrigatoriamente preenchidos por pessoas que já são funcionários de carreira e não pessoas de fora. Por exemplo, chefes de licitação e de pessoal. São pessoas que já faziam parte do quadro de pessoal concursado”.

Ele também citou o fato de, no período em que presidiu o legislativo, ter cortado gratificações. “O controlador interno recebia uma boa gratificação e cortamos pela metade. A pessoa que era responsável pela gestão de contratos, também cortamos a gratificação. Passou a fazer parte integrante das atribuições do cargo”.

Ziroldo disse ainda que as resoluções aprovadas em 2016 começaram a valer no exercício de 2017. “Tudo que foi feito, os efeitos, foram todos para o próximo exercício e não para o exercício de 2016”.

CUTUCADA – Apesar de fazer parte do mesmo partido, o PSDB, o ex-presidente da Câmara cutucou a vereadora Marialva, citando o fato de ela ter tido suas contas rejeitadas pelo TCE, na época em que presidia o legislativo. Ele estranhou o fato da parlamentar defender uma resolução que, segundo ele, estaria em desacordo com a Lei de Responsabilidade Fiscal. “A única presidente que teve contas rejeitadas até hoje na história de Avaré por irregularidades insanáveis (Marialva), defende criação de cargos irregulares que fere a lei de responsabilidade fiscal. A mesma que responde a processo criminal e ação civil pública já condenada em primeira instância por irregularidades quando ocupava função pública”.

Ziroldo falou ainda de como entregou a Câmara no final da sua gestão como presidente. “Deixei a estrutura de uma das câmaras mais transparentes do Estado de São Paulo, com informatização total, sendo a primeira do Brasil a criar a utilização da certificação digital. Entreguei o prédio e mobiliei, cumprindo o compromisso assumido”.

Ele também cutucou o atual presidente da Câmara, vereador Toninho da Lorsa. Ziroldo afirmou ter deixado uma sala pronta para arquivo, mas que o atual presidente teria optado em alugar outro local, gerando despesas para o legislativo.

“Deixei outros projetos prontos, a exemplo da criação do arquivo no andar superior do prédio que não foi colocado em prática pela atual gestão, que preferiu pagar aluguel. Realizei tudo com transparência e responsabilidade. Nunca tivemos uma licitação questionada pelo Tribunal de Contas o que ocorreu na atual gestão que das poucas realizadas muitas foram questionadas”, finalizou.

Ele afirmou que em sua gestão, nunca sofreu ações populares por irregularidade. “Na minha gestão nunca sofri ação popular por irregularidades, inclusive com liminar para sustar efeitos de resoluções ilegais. Sempre cumprimos a lei. O principio da legalidade na minha gestão era sagrado”, disparou.

POLÊMICA – O manifesto do ex-vereador Denílson Ziroldo ocorreu devido à fala da vereadora Marialva Biazon proferida no dia 26 de novembro. Na oportunidade a parlamentar citou uma resolução que teria sido aprovada em outras legislaturas nos 180 finais da função de antigos presidentes. “Na gestão de Denílson Ziroldo também houve a criação de cargos e nesse período aumentou as despesas dessa Casa?”.

Ela também ficou uma resolução que teria sido aprovada na gestão da então presidente, Bruna Silvestre. “Verifiquei que a Casa, no final de 2014, também fez um projeto idêntico, sendo a Resolução 386/2014 que reorganizou o quadro de pessoal, instituiu o Plano de Cargos e Carreira e também alterou a referencia salarial. Se onerou a Câmara, o que falar desse período? Não teve aumento de despesa?”, acrescentou.

Fonte: A Voz do Vale

Deixe seu comentário



Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Avaré Urgente. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Avaré Urgente poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *