“SE PAGARMOS TODOS OS PRECATÓRIOS

A dívida total da Prefeitura de Avaré com precatórios chega a cerca de R$ 80 milhões. Precatórios são dívidas do poder público resultantes de ações judiciais de fornecedores que não receberam do município e também de ações impetradas pelo Ministério Público.

A maioria das ações ocorreram nas gestões de Joselyr Silvestre (1996-2000 e 2005 a 2008) e de Rogélio Barcheti (2009 a 2012). O problema é que a Prefeitura não tem recursos para pagar todas essas dívidas.

Segundo o prefeito Poio Novaes, os precatórios teriam que serem pagos até 2020. Se isso ocorresse, a Prefeitura teria de desembolsar cerca de R$ 1,7 milhão por mês, o seria inviável. “Nossa gestão está em dia com os precatórios. O que acontece é que a dívida foi contraída em gestões anteriores com fornecedores, multas ambientais, Ecad, entre outros. É uma dívida que não temos condições de pagar e nós não vamos pagar, pois nosso município, como em quase todo do país está em crise”, destacou o chefe do executivo.

O perfil dos precatórios avareenses é o seguinte: cerca de R$ 4,3 milhões são devidos ao Ministério Público pela falta de vagas em creches, R$ 4,6 milhões são devidos ao ECAD (Direitos Autorais de Shows realizados na EMAPA de 1998 – Administração Joselyr), cerca de R$ 1,3 milhão devidos a ALITER Construções e Saneamento Ltda., (empresa que prestou serviços de coleta de esgoto na administração Joselyr em substituição a SABESP), R$ 5,2 milhões são devidos ao espólio de Mário Emílio Bannwart (desapropriação da região do Lago da Brabância), além de desapropriações diversas que ultrapassam o valor de R$ 2 milhões de reais e de várias ações de fornecedores.

Poio Novaes destacou ainda que caso o município pague os precatórios, a cidade corre o risco de quebrar. “Temos 5 anos pra zerar essa dívida. Acredito que se pagar tudo isso Avaré corre o risco de quebrar”, finalizou.



Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Avaré Urgente. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Avaré Urgente poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.