REUNIÃO NESTA TERÇA-FEIRA DEFINIRÁ FUTURO DAS PROVAS DA ABQM EM AVARÉ

05/06/2018
O futuro dos campeonatos organizados pela Associação Brasileira de Criadores de Cavalo Quarto de Milha (ABQM) em Avaré deverá ser definido em uma reunião que está marcada para ocorrer na próxima terça-feira, dia 5 de junho.

Segundo informações levantadas pelo Jornal A Voz do Vale, devido à decisão da Justiça de Avaré que impediu a realização da Prova de Laço em Dupla e a Laçada de Bezerro no Congresso Nacional, que ocorreu em abril na cidade, a entidade estaria inclinada a levar o Campeonato Brasileiro da Raça Quarto de Milha para a cidade de Londrina (PR).

A mudança somente não teria sido anunciada devido um recurso que a ABQM impetrou na justiça local para derrubar a liminar que impede a realização das duas provas, porém, devido o Campeonato ser disputado em julho, ou seja, daqui a um mês, a diretoria estaria inclinada em definir o município paranaense como sede da competição em 2018.

O que pesa a favor de Avaré seria a grande estrutura do Parque de Exposições Dr. Fernando Cruz Pimentel, considerada a melhor do país. Para levar o campeonato para Londrina, o recinto deverá receber adequações, o que vai gerar um grande gasto para os quartistas, porém, o impedimento judicial da realização de algumas provas estariam sendo um grande empecilho para Avaré.

O A Voz do Vale apurou somente a ABQM estaria “lutando” judicialmente para derrubar a liminar concedida pela justiça local. Segundo a Secretaria de Comunicação, “há uma possibilidade de o município entrar como terceiro interessado na ação. O prefeito (Jô Silvestre) está analisando a viabilidade da medida proposta pela sua assessoria jurídica”.

ENTENDA – Além de ficar marcado pelo recorde de inscrições, o 28º Congresso Brasileiro do Cavalo Quarto de Milha teve um revés, depois que o Juiz Edson Lopes Filho, da 1ª Vara Civil do Fórum de Avaré, proibiu a Associação Brasileira dos Criadores do Cavalo Quarto de Milha (ABQM) de realizar as provas do laço em dupla e de “laçada de bezerro” durante o evento.

Inicialmente, o magistrado havia proibido a realização da prova do laço em dupla, porém a ABQM recorreu. Além de negar o recurso, Edson Lopes Filho ainda determinou, por meio de liminar, que a Associação também não realize a prova denominada “laçada de bezerro”.

A ação foi movida pelo Ministério Público em razão da legislação em vigor proibir a utilização de animais em eventos, em situação que lhes possa resultar a imposição de danos ou maus tratos.

 

Com informações do Jornal A Voz do Vale



Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Avaré Urgente. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Avaré Urgente poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.