PROCURADOR DO MUNICÍPIO É FLAGRADO EM BLITZ DA LEI SECA EM AVARÉ

16/04/2018

O advogado que compõe o quadro de defensores na Procuradoria Geral do Município de Avaré, Edson Dias Lopes, de 67 anos, foi preso pela Polícia Militar Rodoviária após ser flagrado em blitz da lei seca. O fato ocorreu no dia 7 de abril.

Segundo informações obtidas com exclusividade pelo Jornal A Voz do Vale, o procurador foi parado na Rodovia Salim Curiati (SP-245), que liga Avaré a cidade de Cerqueira César. Edson estava dirigindo um veículo Hundai Veloster, com placas de São Pedro/SP, quando foi parado.

Segundo o boletim de ocorrência, o procurador apresentava “visível estado de embriaguez, tais como odor etílico, voz pastosa, andar cambaleante e roupas desalinhadas”.

Ele aceitou a fazer o teste do etilômetro (bafômetro) que acusou 0,61 MG/l. Com a nova legislação, o motorista que for flagrado com nível alcoólico acima do permitido (0,1 MG/l de sangue) terá que pagar uma multa de R$ 955, além de ter o carro apreendido e perder a habilitação.

Se estiver com níveis acima de 0,3 MG/l), ainda corre o risco de ficar em cana por 6 meses a um ano – a menos que tenha guardado uma boa grana para a fiança, que pode chegar a R$ 1,2 mil.

FUGIU – Devido ao alto nível de álcool no sangue, foi dada voz de prisão ao procurador. Segundo informações obtidas com exclusividade, Edson Dias Lopes teria se evadido do local.

Os policiais localizaram o procurador e devido à agressividade do motorista e para se resguardarem, os policiais tiveram que fazer uso de algemas.

O procurador foi conduzido ao Plantão Policial. Ele pagou uma fiança de R$ 950 e vai responder ao processo por embriaguez ao volante em liberdade.

Devido ele ser advogado, o presidente da Ordem dos Advogados do Brasil, subseção de Avaré, João Francisco Prado foi comunicado do ocorrido.

Em contato com o A Voz do Vale, o presidente destacou que como o procurador não estava no exercício da função, não caberia nenhuma atitude por parte da OAB.

FONTE: A Voz do Vale



Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Avaré Urgente. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Avaré Urgente poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.