JUSTIÇA DETERMINA NOVA AVALIAÇÃO MÉDICA PARA EX-PREFEITO JOSELYR SILVESTRE

19/09/2017

A Juíza do Departamento Estadual de Execução Criminal – Deecrim de Bauru, Renata Biagioni determinou, com urgência, um novo laudo médico sobre a situação da saúde do ex-prefeito de Avaré, Joselyr Benedito Silvestre que está em prisão domiciliar desde dezembro de 2016.

A determinação ocorreu na tarde de terça-feira, 12. “Requisite-se com urgência, novo laudo médico, que deverá informar a saúde do sentenciado (Joselyr), se permanece estável ou se seu estado permite o retorno ao estabelecimento prisional”.

Joselyr está cumprindo pena em prisão domiciliar desde o fim de dezembro de 2016, quando a Justiça concedeu o direito, após o ex-prefeito ter sido submetido a uma Angioplastia em Botucatu. Após o procedimento, ele retornou para Avaré, e foi internado na Ala 1 da Santa Casa de Misericórdia para completar o tratamento.

Primeiramente, o benefício foi publicado no Diário Oficial do Estado no dia 5 de janeiro e era válido por 30 dias. Porém, mesmo após o vencimento do prazo de prisão domiciliar, Joselyr continuou cumprindo pena em casa, aguardando o Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo (TJ/SP) se manifestar sobre um pedido de prorrogação do benefício protocolado pela defesa.

Para avaliar a situação de saúde, o TJ solicitou que um médico perito realizasse uma avaliação completa no ex-prefeito.

Após analisar o caso, dos desembargadores do TJ acabaram concedendo a prorrogação do benefício, até nova avaliação médica.

PRAZO – No dia 21 de março, a juíza do Deecrim de Bauru, Renata Biagioni, determinou que em 60 dias, prazo que venceu no dia 21 de maio, para que um novo laudo médico fosse elaborado.

Na época a magistrada destacou que o Habeas Corpus que foi concedido pelos desembargadores do TJ determinava que Joselyr Silvestre deveria “permanecer em sua residência vinte e quatro horas do dia, somente podendo se ausente mediante autorização judicial ou em caso de emergência médica”.

O ex-prefeito está preso desde o dia 29 de fevereiro de 2016. Ele cumpre pena em seis processos que foram julgados em segunda instância. Somadas, as penas passam dos 20 anos de detenção.

Fonte: A Comarca

Deixe seu comentário



Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Avaré Urgente. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Avaré Urgente poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *