“FALHAS” ADMINISTRATIVAS ADIAM VOTAÇÃO DO RELATÓRIO DA CPI DA FAMPOP

05/12/2017
Um fato inusitado marcou a última sessão ordinária de 2017 na Câmara Municipal, realizada na segunda-feira, dia 4 de dezembro.

Uma “falha” administrativa acabou adiando a votação do relatório final da CPI da Fampop, mas o fato somente foi percebido durante a leitura.

Antes de analisar o relatório da CPI, os vereadores também votaram o parecer preliminar da Comissão de Ética contra o vereador Cabo Sergio. O presidente da Comissão, vereador Roberto Araújo emitiu parecer pelo arquivamento da denúncia protocolada pelo assessor do prefeito Jô Silvestre, Vandinei Muniz.

Foram nove votos pelo arquivamento e duas abstenções, dos vereadores Coronel Morelli e Carlos Estati que afirmaram não ter conhecimento dos documentos. O vereador Hidalgo Freitas foi nomeado para votar o parecer, já que o presidente da Comissão, Roberto Araújo, estava impedido de participar da votação.

No parecer, Araújo entendeu que o problema entre Cabo Sergio e Valdinei Muniz seria particular e deveria ser discutida na Justiça e não no legislativo. “Trata-se de uma situação que afeta a parte particular das partes”. “Assim penso por não ser aberto um processo de Ético Parlamentar. Emito parecer preliminar pelo arquivamento da representação”.

RELATÓRIO DA CPI – O vereador Cabo Sergio chegou a ler parte do relatório. Para os membros da CPI, a fortes indícios de ilicitudes, como direcionamento de serviços, exigência de marcas que podem direcionar para determinada empresa, além de desrespeito da lei de licitações que veda a exigência de marcas.

Durante a leitura, o presidente da Casa de Leis, vereador Toninho da Lorsa solicitou uma reunião com todos os vereadores e paralisou a sessão por cerca de 10 minutos. Na volta ele acabou afirmando que a leitura do relatório final será realizada no próximo dia 11, durante uma sessão extraordinária.

Até mesmo o parecer da Comissão de Ética, que havia sido votado, deverá ser analisado novamente pelos parlamentares. Na oportunidade também ocorrerá a votação do orçamento de Avaré para 2018 de R$ 391 milhões.

LAMENTOU – Durante a palavra livre, o vereador Coronel Morelli mostrou seu descontentamento pelo parecer do vereador Cabo Sérgio bem como o relatório da CPI da Fampop não estarem na ordem do dia da última sessão ordinária do ano.

“Aconteceu uma surpresa sobre o pedido de cassação do Cabo Sergio. No meu entendimento todos desconheceram que iria acontecer isso. Tem erro neste ato, tem que ter publicidade, ter clareza. Não está na ordem do dia, é fato novo. Gera uma situação vergonhosa”.

Durante sua fala, o vereador Toninho da Lorsa confirmou ter havido uma falha administrativa.



Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Avaré Urgente. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Avaré Urgente poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.

  • OpiniaoDoSaraiva

    “Falhas” acontecem, mas até eu sabia que seria lido o relatório na noite de ontem por parte da imprensa.