EM NOTA, PROCURADORA AFIRMA TER INICIADO AS INVESTIGAÇÕES NO SISTEMA DE DÍVIDA ATIVA

16/11/2018
Em nota enviada à imprensa, a procuradora do município, Ana Cláudia Curiati Vilem afirma que as investigações dos supostos “equívocos” no lançamento no sistema de dívida ativa da Prefeitura, tiveram início através de um pedido dela que foi atendido pelo prefeito Jô Silvestre.

“A Comissão, nomeada pelo Sr. prefeito, a pedido desta Procuradora, teve função independente e autônoma, e realizou minuciosa apuração de situação detectada no setor de tributação relativo a informação errônea de ajuizamento de dívidas de determinada empresa, em razão da identificação de equívoco no seu “status” (situação da dívida), conforme consultas no sistema de informatização da Prefeitura”.

Ela afirma que todos os procedimentos ocorreram de forma transparente. “Temos a informar que todo o procedimento ocorreu de forma transparente e idônea, com vistas a investigar e detectar eventual autoria e, ainda, apontar eventuais falhas do sistema, bem como identificando e aprimorando os procedimentos internos, bem como todas as operações, desde o lançamento de débitos até o seu efetivo pagamento”.

A procuradora destaca ainda que, em conclusão aos trabalhos, “emitimos ofícios à Câmara Municipal de Vereadores, à Fundação Regional e Educacional de Avaré (FREA) e a Avareprev, por possuírem o mesmo sistema de software contratado pela Prefeitura, bem como encaminhamos ao Ministério Público e à Delegacia Seccional de Polícia para as providências cabíveis em sua área de atuação, além dos devidos procedimentos internos de apuração de responsabilidades (Processo Administrativo Disciplinar – PAD) e demais recomendações”.

Ela acrescenta que somente uma auditoria poderá detectar se recursos foram, supostamente, desviados dos cofres municipais. “Importante destacar não houve qualquer afirmação de que tenha havido apuração efetiva de valores supostamente desviados dos cofres públicos detectados pela Comissão, havendo, entretanto, a necessidade de apurar tecnicamente a autoria dos fatos, através de competente auditoria, bem como a possibilidade de outros fatos da mesma natureza”.

INVESTIGAÇÃO – Ana Curiati afirma que as investigações continuam por meio de um inquérito policial e pelo Ministério Público. “Os trabalhos continuam em andamento na esfera criminal através da instauração do competente Inquérito Policial requerido pelo Executivo e expediente instaurado pelo Ministério publico local, bem como através da contratação de auditoria específica pela Prefeitura, a fim de apurar os fatos e a eventual autoria”.

Ela destaca também que o erário municipal não teria sido afetado. “O que é possível afirmar é que os valores que foram objeto de investigação somavam o montante de cerca de R$ 2.000.000,00 (dois milhões de reais). Importante esclarecer ainda que não houve prejuízo ao Erário Municipal em relação a esses débitos, já que a situação detectada que poderia gerar prejuízo, foi retificada de imediato, mediante determinação desta Procuradora . Os trabalhos da Prefeitura continuam, e estão sendo prestadas informações aos órgãos do Ministério Publico de São Paulo, Tribunal de Contas do Estado de São Paulo e Delegacia Seccional de Polícia de Avaré”.

RELATÓRIO PRÓPRIO – A procuradora elogia o trabalho da Comissão Mista formada por vereadores e por funcionários da Prefeitura, porém afirma que o relatório emitido pelo vereador Flávio Zandoná não contou com a ciência dos demais membros do executivo.

“Com relação ao posterior funcionamento da Comissão Mista, formada pela Prefeitura e Câmara Municipal, temos a dizer que houve colaboração mútua em toda a instrução dos trabalhos que caminhou de forma exemplar, sendo que ao final, o Legislativo emitiu relatório próprio, sem a convocação dos membros da Prefeitura. Assim, cumpre-nos informar que os membros representantes do Executivo foram apenas notificados para ciência de disponibilidade do Relatório, e não houve tempo hábil para analisar e opinar sobre o seu conteúdo final. Em razão destes fatos esta Procuradora requereu vista dos autos e cópia do Relatório Final a Câmara Municipal para envio aos membros do Executivo participantes da Comissão, e estamos no aguardo para a devida análise de todo seu conteúdo”.

“Estes são alguns esclarecimentos inicialmente necessários, e informamos que a Procuradoria Geral do Município estará sempre à disposição, para esclarecer eventuais duvidas a respeito e cumprindo com sua função de defender a Fazenda Pública e o Erário Municipal”, finaliza.



Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Avaré Urgente. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Avaré Urgente poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.