CRIANÇAS SÃO FLAGRADAS EMPURRANDO ÔNIBUS ESCOLAR ATOLADO

08/12/2017
Crianças e adolescentes foram flagrados empurrando um ônibus escolar que ficou atolado em uma estrada rural no bairro Praia Branca, em Paranapanema. Um vídeo que mostra a cena foi feito pelo morador Adilson Carlos Veiga na quarta-feira, dia 6.

Adilson contou ao site G1 que mora no bairro há quatro anos e que as más condições da estrada causam transtornos para os estudantes, já que o ônibus escolar não consegue trafegar. Para ele, ver os três filhos empurrando o veículo foi lamentável, por isso resolveu registrar.

“Meus filhos estavam voltando pra casa, quando o ônibus atolou perto de onde moro. Muito complicado vê-los ajudando a retirar o ônibus. Lamentável. Por isso fiz o registro. Em seguida, eu também ajudei a empurrar. Está cada dia complicado. A gente é obrigado a pegar o carro porque é época de prova e minhas meninas perderam muitos dias de aula. A gente reclama e nada é feito”, ressalta.

Wilson Teixeira é um dos estudantes que aparecem no vídeo. Segundo ele, todos resolveram descer para ajudar o motorista. “A gente estava voltando da escola e o ônibus começou a patinar na areia. Aí nós fomos ajudar o ônibus. Porém, não deu certo e teve que vir o trator”, conta.

O motorista do ônibus Aparecido Gregório diz que o caminho para buscar as crianças no bairro é sempre desafiador devido às dificuldades. Por conta da terra, a estrada se torna arenosa e faz com que ele não tenha firmeza na direção.

“É um ‘ganha pão’ meu. A gente passa por dificuldade, mas só eu sei o nosso sofrimento. Encalha o ônibus direto. A gente sofre demais. Quando encalhou dessa vez, os alunos resolveram descer e ajudar a empurrar. É difícil demais”, diz.

NOTA OFICIAL – Em nota, a Prefeitura afirmou que não era do conhecimento o fato dos alunos terem empurrado o ônibus e que a empresa responsável pelo transporte escolar é contratada. Porém, vai abrir processo administrativo para apurar as responsabilidades sobre o que mostra o vídeo e tomar as punições cabíveis.

A dona de casa Viama Pires dos Santos afirma que o ônibus não consegue parar na porta de sua casa e os seus dois filhos precisam ir até um local da estrada para conseguirem pegar o transporte. “Trajetória é feita a pé. Eles vão a pé e pegam o ônibus. Estrada está muito precária”, diz.

Já o Walter Alexandre de Camargo afirma que mora na beira da estrada há 18 anos e que precisa ir com frequência para Botucatu, já que sua filha de 18 anos faz tratamento contra leucemia. Segundo ele, teve dia que precisou de trator para poder conseguir sair com o carro. “É uma dificuldade muito grande para sair daqui. Nem que eu tenha que ir com um trator na frente. Minha menina depende do hospital. A estrada é essencial”, diz.

A Prefeitura informou que a estrada tem 14 quilômetros de extensão, está situada em uma região de solo muito arenoso e a via rural não foi projetada para veículos pesados.

Segundo o órgão, no local existem muitas propriedades que cultivam a madeira, laranja, grãos e para escoamento da produção se utilizam de treminhões e tratores traçados para ajudar os treminhões, o que acaba danificando o leito carroçável.

De acordo com a prefeitura, este ano foram feitas quatro manutenções na estrada, inclusive na quinta feira, 30 de novembro.

Além disso, a Prefeitura afirma que alguns proprietários de fazendas daquela região que margeiam a estrada não permite que adentre suas propriedades para construção de curva de nível para escoamento das águas das chuvas.

Fonte: G1



Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Avaré Urgente. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Avaré Urgente poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.