CRIADORES DE ARANDU INVESTEM EM OVELHA DE ORIGEM RUSSAS

23/10/2017

Na fazenda de João Costa Monteiro da Gama, em Arandu, tem gado de leite, um pequeno rebanho para corte e ovelhas.

A criação de ovinos já tinha sido abandonada pela família quando o filho de João Costa conheceu a raça romanov, de origem russa, durante uma viagem a França.

Ele importou três animais de um criador do Chile e, depois de alguns cruzamentos, começou a vender. Atualmente, ele tem nove animais puros na fazenda.

Ao contrário de fêmeas de outras raças, que só dão um filhote por parto, a fêmea romanov dá duas ou três crias. Outra vantagem da raça é que o cio dura o ano todo. A reprodução começa mais cedo também, em média com oito meses.

O criador está vendendo 15 cabeças por ano. Cada uma sai, em média, por R$ 4,5 mil, e ele tem clientes em Goiás, Bahia e Santa Catarina.

Os animais são bem parecidos com outros ovinos criados no Brasil, têm praticamente o mesmo tamanho e peso. O produtor também destaca que é uma raça rústica e que se adapta a diferentes climas. A lã cai sozinha e volta a crescer de acordo com a necessidade do animal.

Em São Miguel Arcanjo, Jaime de Oliveira Filho também investiu na raça. Ele gastou R$ 3 mil em um macho romanov e colocou para cruzar com as ovelhas que tinha, de raças diferentes. Quando os primeiros cordeiros foram vendidos, o criador notou que a carne era diferenciada, saborosa e sem cheiro.

O foco do criador é a venda do cordeiro. O quilo sai por R$ 22. São 140 animais no sítio. Jaime diz que, devido às características da raça, não precisa mais ter 300 ovelhas para conseguir um lucro bom.

Fonte: G1

Deixe seu comentário



Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Avaré Urgente. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Avaré Urgente poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *