COMISSÃO DE AVARÉ CONHECE SISTEMA DE SAÚDE DE ITAPEVA

Os vereadores membros da comissão especial criada para fazer um “raio x” na estrutura da saúde pública de Avaré, esteve na cidade de Itapeva durante todo o dia 10 de setembro para conhecer os departamentos da Secretaria de Saúde e o modelo de gestão. Itapeva foi a primeira cidade escolhida pela Comissão da Saúde por ter algumas semelhanças com Avaré como o mesmo perfil financeiro e populacional e também por ser gestão plena e atender 15 municípios de sua região.

O presidente da Comissão, vereador Marcelo José Ortega e os vereadores Laids Baiano, Rosângela Paulucci, Dr Ernesto Albuquerque e Francisco Barreto foram recepcionados na sede da secretaria pelo titular da pasta, Luiz Fernando Tassinari, que apresentou dados sobre a gestão do setor e acompanhou os parlamentares em visitas até a sede da UPA (Unidade de Pronto Atendimento), Unidade Básica de Saúde Central Dr. Cássio de Camargo Figueiredo, AME, Farmácia Municipal, Farmácia Popular, Projeto Viver e o Espaço de Convivência Dr. Carlos Alberto de Castro Cerqueira.

Ao contrário do que ocorre em Avaré toda a rede de saúde de Itapeva é informatizada, inclusive os laboratórios, o que possibilita um melhor funcionamento de todo o trabalho oferecido aos usuários. Dos 585 funcionários apenas nove exercem cargos em comissão. A estrutura de atendimento conta com 33 unidades de Saúde que cobre toda a cidade, inclusive a área rural. O orçamento para investimento na saúde de Itapeva para 2015 é de R$ 70 milhões, valor inferior ao previsto para Avaré no mesmo período.

Sobre o SAMU de Itapeva, que é o segundo melhor do país em qualificação e capacitação profissional, o Secretário Tassinari destacou que “cerca de mil ocorrências são atendidas todos os meses somente na cidade de Itapeva. Para isto, duas ambulâncias, equipadas com materiais médicos e profissionais da Saúde, trabalham 24 horas por dia para garantir eficiência no atendimento rápido e seguro aos pacientes”.

A comitiva avareense cumpre uma das etapas estabelecidas pela Comissão Especial da Saúde que busca fazer um comparativo com outras realidades de gestão e apontar novos caminhos para a Saúde de Avaré. Para o vereador Marcelo José Ortega a visita foi muito produtiva e surpreendeu os integrantes da Comissão. “Itapeva investiu em tecnologia da informação, em estrutura física e qualificação profissional e hoje colhe os resultados de um bom planejamento. A sede da Secretaria de Saúde de Itapeva reúne todos os departamentos que trabalham integrados em um ambiente funcional. Para se ter ideia da falta de investimento adequado em Avaré, nós não temos uma sede própria e precisamos alugar imóveis para instalar a Secretaria. Pagamos pelo aluguel de um prédio ruim, com goteiras, distante, que um dia foi um clube e hoje abriga a sede da nossa Secretaria, mas não é um prédio funcional. Nos últimos anos a sede da Secretaria da Saúde de Avaré esteve em um imóvel diferente em cada governo. Uma falta de planejamento, de prioridade e de respeito com o cidadão”, destaca.

Outro aspecto da gestão da saúde de Itapeva destacado por Marcelo Ortega é a informatização dos setores. “Desde o início desse mandato venho chamando a atenção do Governo municipal sobre a necessidade e urgência de informatizar todos o setores da saúde, porém lá se foram quase três anos de governo e pouco se fez nesse sentido. Não dá pra aceitar que Avaré vive na “idade da pedra” no quesito tecnologia da informação. Isso é falta de priorização. Em Itapeva a informatização é total e gerou uma economia de trinta por cento. Lá eles trabalham com a clareza dos dados e estatísticas. Aqui trabalhamos no escuro com planilhas de Excel. Claro que Itapeva enfrenta suas dificuldades, mas em Avaré elas são muitas e fruto de um desarranjo histórico e falta de planejamento. Além de investir em medicamentos, exames e atendimento médico Avaré precisa focar e se preocupar e investir em estrutura física, informatização e qualificação de sua equipe para oferecer um atendimento melhor para os usuários. A impressão que tenho é que em Avaré se administra crise na Saúde e, dessa maneira, não se tem visão do todo. Ninguém consegue planejar nada quando fica correndo para resolver problemas com médicos, falta de medicamentos básicos, dificuldade em agendar exames e consultas, frota sucateada. Aqui em Avaré os médicos especialistas não tem interesse em vínculo com o município, porque a estrutura é precária e não há valorização da carreira. Precisamos refletir e inaugurar uma nova mentalidade de gestão da saúde pública em Avaré, senão o usuário vai continuar reclamando da qualidade dos serviços”, afirma.

No cronograma da Comissão Especial da Saúde constam visitas a outros municípios e sessões com representantes dos setores da saúde de Avaré. O objetivo é levantar todas as informações, comparar com outras gestões e propor medidas.

Deixe seu comentário



Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Avaré Urgente. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Avaré Urgente poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *