AUDIÊNCIA PÚBLICA NÃO RESOLVE IMPASSE SOBRE TERRENO DOADO A ABOVA

31/08/2017

A Câmara de Avaré sediou, na quarta-feira, dia 30, mais uma audiência pública do Plano Diretor.

Entre os itens que foram discutidos, o mais importante foi o terreno doado pela Prefeitura à Abova.

A área fica localizada no bairro Green Village. O problema é que os moradores não querem a instalação da Casa de Apoio da Abova no local, tanto que organizaram um abaixo assinado e encaminharam a Câmara Municipal pedindo que o Plano Diretor não altere o zoneamento do bairro.

Além de membros do Plano Diretor e de dos vereadores: Toninho da Lorsa, Cabo Sergio, Flávio Zandoná, Jairinho do Paineiras, Adalgisa Ward, Ernesto Albuquerque e Francisco Barreto, a audiência contou com a presença de representantes da Abova, como também de uma comissão de moradores do Green Village e da Prefeitura Municipal, como os secretários Ronaldo Guardiano (Administração) e Comunicação (Zenna Araújo).

Após vários debates, ficou decidido que uma comissão irá analisar uma saída para o impasse. Os moradores não querem a Casa de Apoio e a Abova quer utilizar a área que foi doada pelo município, mas, para isso, é necessário a alteração do zoneamento do bairro.

FALTA DE BOA VONTADE – No final da audiência, o secretário de Administração, Ronaldo Guardiano, utilizou a palavra e disse que, na sua opinião, não está havendo boa vontade sobre o caso.

Ele chegou a dizer que os moradores estariam olhando para o próprio umbigo. “Eu não vejo o porque que não querem aceitar. Acho que está havendo falta de vontade dos vereadores, que estão olhando para seu próprio umbigo. Não existe um impacto para a vizinhança pelo serviço que a Abova está prestando”.

Ele disse ainda que o prefeito Jô Silvestre estaria solidário a Abova e não descartou o fato de a Prefeitura entrar com uma ação judicial. “O prefeito está solidário que a Abova e se precisar irá até as últimas consequencias jurídicas”.

Guardiano fez críticas ainda aos membros do Plano Diretor. “O Plano Diretor muda conforme é solicitado e nesse caso está havendo parcialidade”. Ele chegou a ser vaiado após a fala.

Em seguida, o membro do Plano Diretor, Paulo Cicconi, disse que o secretário estava dizendo inverdades. “O senhor está trazendo inverdades”.

O vereador Toninho da Lorsa, que presidiu a audiência, solicitou a palavra e disse que a comissão irá analisar o caso e, posteriormente, divulgar as medidas que serão adotadas.

A comissão será composta por membros da Abova, da Prefeitura, Câmara e dos moradores do Bairro Green Village.



Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Avaré Urgente. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Avaré Urgente poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.