AUDIÊNCIA PÚBLICA NÃO RESOLVE IMPASSE SOBRE TERRENO DOADO A ABOVA

31/08/2017

A Câmara de Avaré sediou, na quarta-feira, dia 30, mais uma audiência pública do Plano Diretor.

Entre os itens que foram discutidos, o mais importante foi o terreno doado pela Prefeitura à Abova.

A área fica localizada no bairro Green Village. O problema é que os moradores não querem a instalação da Casa de Apoio da Abova no local, tanto que organizaram um abaixo assinado e encaminharam a Câmara Municipal pedindo que o Plano Diretor não altere o zoneamento do bairro.

Além de membros do Plano Diretor e de dos vereadores: Toninho da Lorsa, Cabo Sergio, Flávio Zandoná, Jairinho do Paineiras, Adalgisa Ward, Ernesto Albuquerque e Francisco Barreto, a audiência contou com a presença de representantes da Abova, como também de uma comissão de moradores do Green Village e da Prefeitura Municipal, como os secretários Ronaldo Guardiano (Administração) e Comunicação (Zenna Araújo).

Após vários debates, ficou decidido que uma comissão irá analisar uma saída para o impasse. Os moradores não querem a Casa de Apoio e a Abova quer utilizar a área que foi doada pelo município, mas, para isso, é necessário a alteração do zoneamento do bairro.

FALTA DE BOA VONTADE – No final da audiência, o secretário de Administração, Ronaldo Guardiano, utilizou a palavra e disse que, na sua opinião, não está havendo boa vontade sobre o caso.

Ele chegou a dizer que os moradores estariam olhando para o próprio umbigo. “Eu não vejo o porque que não querem aceitar. Acho que está havendo falta de vontade dos vereadores, que estão olhando para seu próprio umbigo. Não existe um impacto para a vizinhança pelo serviço que a Abova está prestando”.

Ele disse ainda que o prefeito Jô Silvestre estaria solidário a Abova e não descartou o fato de a Prefeitura entrar com uma ação judicial. “O prefeito está solidário que a Abova e se precisar irá até as últimas consequencias jurídicas”.

Guardiano fez críticas ainda aos membros do Plano Diretor. “O Plano Diretor muda conforme é solicitado e nesse caso está havendo parcialidade”. Ele chegou a ser vaiado após a fala.

Em seguida, o membro do Plano Diretor, Paulo Cicconi, disse que o secretário estava dizendo inverdades. “O senhor está trazendo inverdades”.

O vereador Toninho da Lorsa, que presidiu a audiência, solicitou a palavra e disse que a comissão irá analisar o caso e, posteriormente, divulgar as medidas que serão adotadas.

A comissão será composta por membros da Abova, da Prefeitura, Câmara e dos moradores do Bairro Green Village.

Deixe seu comentário



Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Avaré Urgente. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Avaré Urgente poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.

3 thoughts on “AUDIÊNCIA PÚBLICA NÃO RESOLVE IMPASSE SOBRE TERRENO DOADO A ABOVA

  1. albino manara neto

    esse pessoalo desse bairro ta se achando o que, deus ou o filho dele que nao podem conviver com uma entidade social,vao caça o que fazer

    Reply
  2. Alessandra Meixedo

    Gostaria que os nomes que constam no abaixo assinado, fosse de domínio público. Ver se “os moradores” continuariam com essa palhaçada, ou teriam vergonha de seu nome divulgado.

    Reply
  3. Jose Antonio Apparecido

    Parece ser importante destacar que a lei que autorizou que o Município concedesse a área para a ABOVA já alterou a destinação urbanística dos lotes. Ela foi aprovada por unanimidade na Câmara, o que afasta até mesmo a alegação de que não poderia ter alterado o PD. O parecer da Comissão se equivoca neste ponto, e desconsiderar a norma jurídica já vigente não parece ser a melhor solução – aliás, nos termos da lei, hoje nem mesmo residências são edificáveis naqueles lotes.

    Reply

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *